Novidades em Chapada dos Guimarães

Serenatas da Alegria 22/07/2021 22:21

“Serenatas da Alegria” Ação Cultural integrada presencial de Dança, Teatro e Circo a partir de 23 de julho

O projeto “Serenatas da Alegria” nasce da vontade do ator e produtor, Luciano Bortoluzzi, de proporcionar ao público de Chapada dos Guimarães, um retorno às apresentações artísticas envolvendo circo, teatro e dança da maneira mais segura possível. Estreia 23 de julho 2021 nesta sexta feira.

 

 

 

 

Durante a pandemia, a melhor forma de prevenção é manter-se em casa. Como realizar espetáculos presencias com as pessoas seguras em casa? Levando os espetáculos até a casa das pessoas, respeitando protocolos de segurança e o distanciamento entre artistas e público.

A melhor imagem para ilustrar esse projeto, são as antigas Serenatas. Os artistas farão suas apresentações ao ar livre, nos portões das casas. O público assiste as apresentações no seu quintal, sentado nas suas próprias cadeiras, ou na soleira da porta.

As apresentações serão divididas em 02 etapas realizadas na zona rural e urbana de Chapada dos Guimarães nos meses de julho e agosto de 2021. O público escolhido para receber as Serenatas foram os alunos da Apae e os Idosos das comunidades de Lagoinha de Baixo e Rio da Casca. Lembrando que esse público já tem ao menos uma dose da vacina contra o covid-19, bem como a maioria das pessoas da equipe e elenco do Serenatas.

Os artistas que farão as apresentações sairão de suas casas, com os equipamentos de segurança (máscaras e álcool gel) e manterão uma distância segura do seu público.

 

Um “Mini Festival”, unindo dança, teatro e circo.

 

O projeto “Serenatas da Alegria” propõe 24 apresentações de Dança, 20 apresentações de Teatro e 40 apresentações de Circo distribuídas da seguinte forma:

 

Na zona urbana serão realizadas 60 apresentações e na zona rural 24 apresentações.

Representando a Dança: Grupo Folclórico de Siriri Patucha e Grupo Elementares do Quilombo.

Representando o Teatro: Wanderson de Paula.

Representando o Circo: Trio Pirathiny.

“Serenatas da Alegria” foi um dos projetos vencedores na categoria Artes Cênicas (que engloba dança e circo) do Edital Prêmio Municipal de Cultura 002/2020 de Chapada dos Guimarães com os recursos da Lei Aldir Blanc, através da Prefeitura Municipal de Chapada dos Guimarães, por meio da Secretaria de Turismo, Cultura e Meio Ambiente de Chapada dos Guimarães.

Ficha técnica:

Produção, divulgação e direção geral: Luciano Bortoluzzi

Assistente de produção: Elton Martins

Representante do teatro: Wanderson de Paula

Representantes da dança: Grupo Folclórico Siriri Patucha, direção Pedro Boaventura e Deijanil do Nascimento e Grupo Elementares do Quilombo, direção Tatiana Reis.

Representante do circo: Trio Pirathiny, direção Luciano Bortoluzzi.

Apoio de produção em Rio da Casca: Anildo Moreira.

Apoio de produção em Lagoinha de Baixo: Tatiana Reis.

Fotos: Sofia Kawall.

Vídeo: Rodrigo Bortoluzzi.

 De 23 de julho à 11 de agosto em Lagoinha de Baixo, Rio da Casca e Chapada dos Guimarães. 

Duração: de 15 a 30 minutos de apresentações por casa.

Livre e gratuito.

Apoio Cultural: APAE Chapada dos Guimarães, Conselho de Cultura de Chapada dos Guimarães gestão 2020, Comunidade de Rio da Casca, Comunidade de Lagoinha de Baixo, Prefeitura Municipal de Chapada dos Guimarães e Secretaria de Turismo, Cultura e Meio Ambiente de Chapada dos Guimarães.

  

De onde surgiu a ideia do “Serenatas da Alegria”

 

Luciano Bortoluzzi é o proponente do projeto, reside e atua em Chapada dos Guimarães/MT, desde 2011.

Em 1999 começa a viajar pelo Brasil e exterior com o espetáculo solo "Esperando o Lima" do Trio Pirathiny, tendo se apresentado e ministrado cursos de formação para atores em todos os estados brasileiros, em 11 países da América do Sul, Alemanha e França. 

Nos anos de 2012 e 2013, criou, dirigiu, subiu a lona, atuou como palhaço e produziu eventos no Circo Pirathiny, espaço cultural destinado a apresentações teatrais, shows musicais, circo, dança e cinema.

Em 2017 realizou como produtor, curador e artista a "Primeira Mostra da Alegria da Zona Rural de Chapada dos Guimarães" levando circo, teatro, música, dança e cinema para 04 comunidades da zona rural de Chapada dos Guimarães/MT.

Em 2018 e 2019 realizou como produtor, curador e artista a Mostra Regional Programação Cultural e Infantil do "Festival de Inverno de Chapada dos Guimarães, edições 33 e 34” coordenando as apresentações de mais de 160 artistas de MT, durante 60 horas de evento, distribuídas em 03 finais de semana.

Em 2019 participou como palhaço e produtor dos projetos “Sesc Itinerante” e “Sesc na Estrada” levando o Trio Pirathiny para mais de 50 apresentações em praças e escolas no interior de Mato Grosso, Cuiabá e Várzea Grande.

O objetivo do projeto Serenatas da Alegria é aproveitar a experiência dos grandes eventos de 2017, 2018 e 2019 para realizar apresentações em formato de mini festival, unindo circo, teatro e dança, com o máximo de segurança possível. Tendo como público a alunos da APAE e Idosos da zona rural do município de Chapada dos Guimarães.

Além do trabalho com circo e produção de festivais, Luciano Bortoluzzi, tem participado como ator, em séries e filmes de longa metragem nacionais. 

 

 

Ator convidado representante do Teatro:

 

Wanderson de Paula

Ator e produtor de Chapada dos Guimarães, acadêmico em atuação pela MT ESCOLA DE TEATRO, turma de 2020.

Em 2015, atuou como o “Mágico das Sombras” no espetáculo “O Circo Chegou” com o Ballet Rachel Galesso.

Em 2017 foi cofundador do “’Grupo Anônimous Teatro”.

Em 2017 e 2018 atuou como “Oberon” no espetáculo teatral “Cochilo de Uma Noite de Verão”, adaptado da obra de Willian Shakespeare pela diretora Fernanda Marimon. O espetáculo fez parte da programação do Cine Teatro de Cuiabá em dezembro de 2017.

Em 2017, participou como “Valete de Copas” no espetáculo “O Sonho de Alice”, com o Ballet Rachel Galesso, participando da Primeira Mostra da Alegria da Zona Rural de Chapada dos Guimarães em apresentação na Água Fria.

Em 2018, atuou como ator e coautor no espetáculo teatral: “S.H.T.F Quando a Merda
Bate no Ventilador”
com o “Grupo Anônimous Teatro”, dirigido por Fernanda Marimon.

Em 2018, trabalhou como assistente de produção do espetáculo “A Fábula de Oz” com o Ballet Rachel Galesso.

Em 2019, foi assistente de produção da Programação Cultural do "Festival de Inverno de Chapada dos Guimarães edição 34” coordenando as apresentações de 60 artistas de MT, durante 20 horas.

Em 2019, como ator, interpretou o “Sr. Darling” no espetáculo “Peter Pan”, onde
também trabalhou na produção junto a Fernanda Marimon e Rachel Galesso.

E em 2020 atuou como ator, interpretando “Bernardo” na série “O Amor vence” do coletivo de audiovisual “MT Queer”.

 Grupos convidados representantes da Dança:

 

Grupo de Siriri Patucha

O Siriri é uma dança típica de Mato Grosso. O Grupo de Siriri Patucha é um dos movimentos folclóricos mais fortes e antigos de Chapada dos Guimarães. Surgiu dentro da Escola Estadual Professora Ana Tereza Albernaz no dia 13 de maio do ano de 2000. O professor Pedro Boaventura da Silva reuniu-se no pátio da escola com os alunos na hora do intervalo e começou a cantar músicas folclóricas. Mais de 20 casais se inscreveram para dançar, foi necessário fazer uma seleção para ver quem se sobressaía na dança e assim o grupo foi crescendo e começou a se destacar dentro e fora da escola. Depois do grupo formado o Professor Pedro Boaventura da Silva deu o nome de Patucha, porque em Chapada dos Guimarães na década de 70, as danças populares eram apresentadas no Clube Patucha e o siriri eram uma das atrações festivas.

O grupo folclórico de Siriri Patucha possui 55 componentes, tem sua sede no município de Chapada dos Guimarães, coordenado pelo professor Pedro Boaventura da Silva e pela profª Deijanil Maria do Nascimento.

Esse grupo tem como objetivo conscientizar os jovens para a valorização de sua origem, ocupando seu tempo com cultura através da dança. Resgatar a memória cultural da tradição Mato-Grossense, fazendo com que as dançarinas e os dançarinos se tornem representantes legítimos de sua cultura.

Apresentações:

Em 2017 "Primeira Mostra da Alegria da Zona Rural de Chapada dos Guimarães" no Centro Cultural Almir Pereira Nunes, Morro do Bom Jardim,

Em 2018 "Festival de Inverno de Chapada dos Guimarães, edição 33” na Praça Dom Wunibaldo na Mostra Regional Programação Infantil.

Em 2019 "Festival de Inverno de Chapada dos Guimarães, edição 34” na Praça Dom Wunibaldo na Mostra Regional Programação Cultural.

Além de apresentações em:

-Festas Folclóricas das Escolas Estaduais e Municipais.

-Pontos Turísticos de Chapada dos Guimarães.

-Pousadas da Cidade.

-Festas Religiosas.

-Festa do Caju.

-Festival de Cururu e Siriri em Cuiabá.

Grupo de Dança Elementares do Quilombo

“Elementares” estão ligados e querem dizer eventos fortes da natureza”.

O Grupo de Dança Elementares do Quilombo foi criado em 2017, na pequena comunidade quilombola - Associação Quilombola Negra Rural de Lagoinha de Baixo, zona rural de Chapada dos Guimarães. Começaram com o intuito de preservar a cultura e origem quilombola e foram ganhando destaque e respeito conforme as apresentações do Grupo aconteceram.

À partir de 2019 o grupo leva seus trabalhos para escolas e eventos em comunidades vizinhas. Apresentam-se em festas regionais, saraus, Feira da Sustentabilidade de Chapada dos Guimarães, II Mostra Gigantes de Artes Cênicas, Programação Cultural Municipal do Carnaval de 2020, além de promoverem oficinas de dança em escolas e eventos.

 

Tatiana Reis é bailarina, coreógrafa, produtora e fundadora do Grupo Elementares do Quilombo, junto com Gonçalina Reis, Fabiana Cruz, Micheli Cruz e Grazielly Costa. Tatiana nasceu, reside e atua na comunidade de Lagoinha de Baixo, Chapada dos Guimarães. Iniciou sua prática de dança e pesquisa corporal na infância, onde se desenvolveu através das danças regionais. Em 2006, teve contato com a dança Break, graças ao projeto da CUFA (Central Única das Favelas), participando de uma oficina ministrada pelo instrutor Linha Dura. À partir desse contato, Tatiana inicia seus trabalhos como bailarina em grupos de break e em 2015 multiplica seus saberes compartilhando-os em oficinas em sua comunidade.

 

Quilombo de Nanã é uma das obras do repertório do Grupo Elementares do Quilombo. O projeto contemplado pela Lei Aldir Blanc no Edital MT Nascentes, visa a montagem de uma obra coreográfica e a continuidade da formação artística do grupo.

O espetáculo multimídia em fase de concepção com direção de Oz Ferreira e coreografia de Tatiana Reis, aborda de forma poética aspectos da diáspora africana através das manifestações culturais encontradas na comunidade, contemplando aspectos como danças, lutas, modos de vida, práticas religiosas, formas de organização política e suas reverberações. A pesquisa para criação desta obra iniciou de forma independente em agosto de 2019.

Atualmente, o projeto se encontra no final da segunda etapa: Ateliê da criação.

Nesta etapa, além de finalizar e afinar as partituras coreográficas também foi produzido o material em vídeo que faz parte do espetáculo.

O material foi gravado na Lagoinha de Baixo e teve apoio de moradores em sua produção, além da participação especial de Cilda Reis de Castro.

Das gravações também participaram Kamilla Braz, Tarsila Rubira, Ramon Rodrigo da Costa e Camila Viana, que vem acompanhando o processo desde o início, quando participaram das residências artísticas oferecidas na primeira etapa do projeto.

“Elementares são as forças definidas por um ser simples, trazemos em nossas danças os elementos da natureza; água, terra, ar e fogo. Elementos de força para a ancestralidade dos nossos povos que são afluentes das nossas danças”.


O Site

Informações sobre os principais atrativos turísticos, comércio local, instituições públicas, vagas de empregos e muito mais!

Resultado de imagem para cadastur 13.028984.10.0001-5

 

vers�o Normal Vers�o Normal Painel Administrativo Painel Administrativo